Ministério da Agricultura fecha empresa que produzia defensivos agrícolas e fertilizantes de forma clandestina em MT

5
Ministério da Agricultura fecha empresa que produzia defensivos agrícolas clandestinamente  — Foto: Assessoria/MapaMinistério da Agricultura fecha empresa que produzia defensivos agrícolas clandestinamente  — Foto: Assessoria/Mapa

Ministério da Agricultura fecha empresa que produzia defensivos agrícolas clandestinamente — Foto: Assessoria/Mapa

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) fechou, nesta semana, uma empresa de Rondonópolis, a 218 km de Cuiabá, que produzia defensivos agrícolas e fertilizantes de forma clandestina.

Durante a fiscalização foram apreendidos produtos fraudados, rótulos e equipamentos usados na produção.

O Mapa apreendeu mais de 14 mil litros de agrotóxicos sem registro e 4 mil litros de fertilizantes fraudados, que tinham rótulos de empresa do Paraná, mas eram produzidos clandestinamente no local, em Rondonópolis.

Na área administrativa, foram apreendidos documentos e 46 pacotes de rótulos de defensivos agrícolas e fertilizantes.

A empresa se apresentava como comerciante de produtos fabricados em São Paulo e no Paraná, mas produzia inseticidas e fertilizantes para diversas culturas.

Servidores só conseguiram vistoriar a empresa após mandado expedido pelo Juizado Volante Ambiental — Foto: Assessoria/Mapa

Servidores só conseguiram vistoriar a empresa após mandado expedido pelo Juizado Volante Ambiental — Foto: Assessoria/Mapa

A equipe de fiscalização chegou à empresa a partir de denúncia à Ouvidoria do Mapa. A primeira ação foi feita na última terça-feira (3), mas os fiscais não conseguiram entrar à empresa, que fica em uma área de difícil acesso e não tem identificação.

No dia seguinte, de posse de um mandado expedido pelo Juizado Volante Ambiental (Juvam) de Rondonópolis, os servidores conseguiram vistoriar o estabelecimento.

Ela será autuada pelo Mapa por produção e fraude de fertilizantes, produção de agrotóxicos sem registro e impedimento à fiscalização.

NO COMMENTS

LEAVE A REPLY